Simplesmente, margarida!

Receber uma margarida é um gesto carinhoso; assim como outros que podemos ter. Está em nossas mãos reforçar o valor dos que nos cercam.

margarida

Uma margarida, assim como qualquer flor, possui delicadeza e evoca sensibilidade e perfeição. Cada pétala, folha e suas cores perfeitamente combinadas, transmitem pureza e simplicidade. Contudo, seja uma margarida, rosa ou orquídea, as flores com seus perfume característicos, formatos e cores suaves ou extravagantes, são instrumentos poderosos de afeto. Elas, isoladamente ou acompanhadas, são veículos de mensagens subliminares. Mas, podemos agregar significado a cada uma delas. Ou seja, serão apenas flores até que um olhar mais atento elege-as como símbolo do que deseja expressar.

Por isso, seja qual for o momento, receber e dar flores é um gesto delicado e de muito bom gosto. Elas raramente são indesejadas. O carinho, a paixão, o desejo de reconciliação, a saudade ou qualquer outro sentimento pode ser ainda mais intenso quando acompanhado de flores. A margarida, em especial, possui uma simplicidade que encanta. A natureza nos presenteou com beleza através de plantas e de uma variedade de flores que podem reforçar o que desejamos comunicar. Contudo, ela será simplesmente uma margarida até que seja colhida e direcionada a alguém. O que a torna especial, portanto, é ter sido escolhida e endereçada a quem desejamos agradar ou homenagear.

Gestos simples como dar flores, dizer obrigada e sorrir podem transformar o dia de quem convive conosco. Porque, nossa interação com quem está à nossa volta pode representar um bom momento de sua vida. Ou quem sabe ser aquele olhar que a fará enxergar um momento difícil com mais leveza. Saber que alguém lembra de nós, que se importa ou que está disposto a estar ao nosso lado, nos deixa mais fortes. Pois, precisamos da interação com nosso semelhante. Ter nosso valor reforçado por estes gestos, em certas ocasiões, é tão importante quanto respirar.

“Leve os jovens a enxergar os singelos momentos, a força que surge nas perdas, a segurança que brota no caos, a grandeza que emana dos pequenos gestos!” Augusto Cury

Acrescentando leveza

A vida é dura demais, e propõe desafios em níveis que nem sempre estamos preparados para enfrentar. Ela, também, é curta e oferece janelas de oportunidade que se fecham. Portanto, mesmo que soe como um chavão, temos que aproveitar os segundos que temos, fazendo escolhas sábias. Pois, o agora já se transformou em passado. Mas, o tempo bem usado, pode ser nosso grande aliado. Não temos opção de retroceder em alguns casos; já que, nem sempre o conserto de uma escolha errada é factível. Assim como, nem sempre temos consciência do valor do outro, até que deixe de conviver conosco. Porque, o valor que cada ser humano tem para nós, está intrinsecamente atrelado ao nosso olhar.

Portanto, temos poder de transformar alguns minutos, ou quem sabe horas da vida de alguém. Certamente a mudança pode ser benéfica ou maléfica. Ou seja, o tom de voz, a escolha das palavras ou do momento certo de expressar, é o que separa a comunicação eficiente da desastrosa. Por isso, cada componente do que comunicamos transforma a mensagem em algo fácil ou difícil de digerir. Já que, somos capazes de gerar esperança ou desânimo e, inegavelmente; temos capacidade de expressar empatia com pequenos movimentos na direção de quem conta conosco. O egoísmo, no entanto, nos isola e limita. Certamente, perdemos muito mais quando escolhemos reter do que quando nos doamos.

“É insaciável o desejo de doar-se a quem mora em nosso pensamento.” Daniel Bueno

Fazendo declarações

“Eu gosto de olhos que sorriem, de gestos que se desculpam, de toques que sabem conversar e de silêncios que se declaram.” Machado de Assis

Nosso ser comunica mensagens o tempo todo. Por isso, podemos iluminar o ambiente em que estamos ou torná-lo denso. No entanto, não se trata de buscar um tipo de equilíbrio que nunca nos abale. Ou seja, que cobre de nós um tipo de imunidade que certamente não somos capazes de sustentar. Trata-se apenas de se permitir ser visto; apoiando-se na vulnerabilidade para declarar que sabemos como o outro se sente. É, também, escolher parar e prestar atenção, desviando o olhar de nosso próprio umbigo. Pois, há poucos metros, ou quem sabe centímetros, pode haver alguém precisando de doses de quem somos.

Contudo, quando a distância dificulta o contato; um telefonema, um bilhete, um recado, podem ser excelentes opções. Já que, tem valor qualquer iniciativa que demonstre o quanto nos importamos e sentimos falta, de quem nem sempre pode estar presente. A vida nos conduz por caminhos distintos; separando amigos e familiares por diversos motivos. Portanto, por mais legítima que sejam as motivações que respaldam cada escolha feita, nada substitui o papel de algumas pessoas em nossa vida. Por isso, precisamos despertar nossa sensibilidade. Uma margarida pode deixar de ser simplesmente margarida, se a entregarmos a alguém. Assim como uma pessoa deixará de ser mais uma na fila, quando nos dirigimos a ela com respeito e consideração.

Autor: bygrace73513376

Sou gaúcha, amo biografias e gosto do desafio de compartilhar fragmentos da minha. Faço parte de uma geração analógica que usufrui dos benefícios da era digital. Por isso, o bygrace é produto de uma jornada analógica, compartilhada de forma digital.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s