Amadurecendo sem envelhecer

Amadurecer não é sinônimo de velhice ou senilidade. Envelhecemos quando desistimos de nós mesmos e não usufruímos da sabedoria acumulada, a nosso favor.

Amadurecendo sem envelhecer

Será que é possível amadurecer sem envelhecer? Acredito que sim. Amadurecimento é algo saudável, que nos acontece sempre que agregamos conhecimento a respeito de algo. Uma pessoa madura é aquela que aprende com as circunstâncias. É alguém que permite que a vida lhe ensine e que o tempo lhe molde. Maduro é aquele que não ignora o aprendizado por trás de cada circunstância cotidiana. Porque busca compreender o que nem sempre está explícito.

“A maioria das pessoas não cresce. A maioria envelhece. Elas encontram lugares de estacionamento, honram os seus cartões de crédito, casam, têm filhos, e chamam isso de maturidade. Isso é o envelhecimento.” Maya Angelou

O envelhecimento em geral reflete o oposto. Envelhecer é sinônimo de perda de vigor, de ausência de expectativa, pode significar abandono e solidão. Obviamente nosso corpo envelhece, e contra isso não podemos lutar, mas o envelhecimento precoce da mente é mais assustador do que o do corpo.  Quando temos uma mente ativa, menos nosso corpo sofrerá. Pois é a mente quem determina quanto do processo do envelhecimento do corpo nos limitará.

Lutando contra o envelhecimento da mente

Sabemos que nossa mente comanda nosso corpo. É dela que partem as orientações e coordenadas sobre as quais nosso corpo se molda. Existem estudos que comprovam que a recuperação de pessoas otimistas é mais rápida e eficiente do que a de pessoas pessimistas. Nosso cérebro tem plasticidade, isto é, tem capacidade de se reprogramar. Os que usufruem desta faculdade do cérebro, são os que amadurecem sem envelhecer.

A renovação ou reprogramação de nossa mente é determinante para que envelheçamos de forma equilibrada. Embora as limitações do corpo sejam reais e possam ditar alguma regra nova de comportamento, cabe à mente adequá-las. Gostar de si mesmo e se perceber de forma correta é essencial. Pessoas que não amam a si mesmas são incapazes de amar os outros. Portanto, o vigor e paixão pela vida não estão vinculados ao corpo e sim à nossa disposição mental.

Certamente os que se amam, cuidam melhor de seu corpo como consequência. Mas a recíproca não é verdadeira, já que comumente as pessoas fazem o inverso. Isto é, cuidam do corpo na expectativa de aumentar sua baixa-autoestima, mas os resultados não são duradouros. A ordem desta equação é começar de dentro para fora. Resolvemos nossos problemas internos e os externos são solucionados. Toda tentativa que ataque o exterior objetivando mudar o interior será frustrada.

“Ao envelhecer, parei de escutar o que as pessoas dizem. Agora só presto atenção ao que elas fazem.” Andrew Carnegie

Os que envelhecem sem amadurecer

Corremos o risco de envelhecer sem nunca amadurecer. O envelhecimento precoce da mente reflete diretamente no envelhecimento do corpo. Os que ocupam suas mentes com julgamentos e críticas, são os que não focam no que realmente importa. Aquilo de que nos alimentamos passa a fazer parte de quem somos. Essa é uma regra que se aplica à nossa saúde física, mental e emocional. Por isso, é importante vigiar em relação ao que permitimos que nossos cinco sentidos acessem. Já que, o pior envelhecimento é o da mente e contra este devemos lutar diariamente. 

Todos travamos batalhas com nossa mente, mas a derrota fatal acontece quando nos envergonhamos de quem somos. Quando atingimos este estágio de desânimo, nos transformamos em nosso pior inimigo. Em última análise envelhecemos quando nos cansamos de nós mesmos. Assim como acontece com as doenças auto-imunes, em que o organismo ataca a si mesmo, podemos estar nos auto-sabotando. Pensando em estar combatendo uma ameaça, podemos estar atacando a nós mesmos. 

A vergonha corrói aquela parte de nós que acredita que somos capazes de mudar. A capacidade de mudar é um fato. Portanto, não importa quão longe tenhamos ido na direção oposta, há possibilidade de recalcular a rota. Nosso GPS interno precisa ser recalibrado para que isso ocorra. Por isso, alimentar nossa mente com o que é saudável propicia o recálculo do trajeto, a partir do ponto do desvio. 

Deixando nossa marca nas pessoas

Os mais velhos deveriam ser fonte de sabedoria e orientação para a geração que os sucede. Infelizmente isso não é uma regra. Existem nações que honram os cabelos brancos de seus anciãos e os respeitam por questões culturais. Embora esta prática seja louvável e adequada, muito mais significado teria se fosse fruto de reconhecimento espontâneo. 

Porém ninguém que está nu, pode oferecer-nos vestimenta. Existe uma nudez explícita que precisa ser combatida, porque precisamos estar vestidos para poder ajudar outros. Igualmente importante  é perseguir com determinação nossa saúde emocional e física. Não sabemos tudo e temos o dever de fazer o melhor com o que sabemos. Quando amadurecemos em algum aspecto temos mais a oferecer e certamente menos a exigir.

Lidar com sensatez e equilíbrio com as mudanças hormonais e limitações de nosso organismo depende muito do que aceitamos como verdade. Temos capacidade de influenciar nossa geração com o que somos e com os sonhos que temos. Deveríamos nos sentir responsáveis por viver uma vida que deixasse marcas e que influenciasse a geração seguinte.

Os que envelhecem com sabedoria

Lamentavelmente muitos não se relacionam com a vida desta forma. O teto dos pais e avós deveria ser o alicerce dos filhos e netos. Aquilo que eles conquistaram de conhecimento e patrimônio deveria ser o ponto de partida de seus sucessores. Este é o curso correto de construção de nossa trajetória. Ninguém deveria partir do zero, todos deveriam ter uma base sobre a qual pudessem construir sua existência. Isto é obedecer o princípio da honra.

Por isso, a geração que entende isso deixa um legado e não será lembrada pelo que não conquistou e sim pelo aprendizado e modelo em que se transformou. Pessoas nem sempre lembram exatamente o que fazemos, ou dizemos, mas sempre lembram de como as fizemos sentir. O importante não é conhecer todas as respostas, ou ser alguém que está em destaque o tempo todo.

A maturidade agrega conhecimentos que repartimos de forma inconsciente. São discursos sem palavras que atraem a atenção dos olhares atentos que buscam sabedoria. Os que compreendem isso amadurecem e são eternos aprendizes, por isso, não envelhecem. Os jovens de mente jamais envelhecem, ainda que amadureçam. Mas os velhos de mente talvez nunca amadureçam, porque ignoram sua identidade e valor.

“Se o tempo envelhecer o seu corpo mas não envelhecer a sua emoção, você será sempre feliz.” Augusto Cury

Autor: bygrace73513376

Sou gaúcha, amo biografias e gosto do desafio de compartilhar fragmentos da minha. Faço parte de uma geração analógica que usufrui dos benefícios da era digital. Por isso, o bygrace é produto de uma jornada analógica, compartilhada de forma digital.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s